domingo, 24 de junho de 2012

Uma garrafa da meia-noite


Irei caminhar até o encontro das belas memórias. Não consigo ver tudo claramente, mas tenho em minhas mãos uma garrafa da meia-noite e ela irá me levar ao seu encontro. Sei que tudo faz parte de um passado bom e que não irá mais voltar, mas é difícil quando esse calor queima e não a nada que possa detê-lo. Meu peito arde e o meu coração se diz triste e desanimado. Mesmo que seja só por uma noite, somente para saciar essa carência sem fim.


"Pois no silêncio de um céu negro, o vento leva consigo as minhas lágrimas e dores."

3 comentários: